Uma dose de fé para viver bem

Especial: Espiritualidade x Medicina
A fé dos pacientes deixou de ser “aceita” pela ciência apenas quando o quadro do doente é extremamente grave, sem a menor chance de recuperação. Com o respaldo de pesquisas científicas, a evidência é que o efeito da espiritualidade na saúde não precisa ser limitado quando há dificuldade de cura. A fé pode ser preventiva. Se antes recorrer à religião era ato comum em vítimas de câncer, aids ou qualquer outra doença que ainda desafia a medicina, agora as “doses de oração” já são recomendadas por alguns médicos para tratar e prevenir problemas mais simples como hipertensão, colesterol e diabetes.
Olivia Monteiro, arquiteta, 55 anos, afirma ter na pele, no sangue e na cabeça a reunião dos efeitos positivos da espiritualidade. Encontrou-se com a própria fé no diagnóstico do câncer da mama.
Um dos cardiologistas mais conceituado do País, Roque Marcos Savioli, afirma que “com certeza, em questão de tempo, os médicos vão receitar fé aos seus pacientes, inclusive, para diminuir os custos de internação em hospitais.”
Nota: A fé muitas das vezes é atropelada e dificultada pelas dúvidas que criamos dentro de nós. Não se priva de crê em algo, assim como a Salvaçao é individual, o mesmo ocorre com a fé. A fé é feita de obras (atitude e ação) para o bem, isso independe de religiao A ou B. Veja o que está escrito no livro de Tiago 2:26: “Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta”. Fé é um momento individual, desde que seus pensamentos sejam íntimos com Deus através de Jesus Cristo. Voltaremos a falar mais sobre esse assunto. Boa fé para voce!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.