Mortes por febre maculosa assustam população do Noroeste Fluminense

Quatro mortes por febre maculosa já foram confirmadas no Noroeste Fluminense, de acordo com nota oficial da Superintendência de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Secretaria de Estado de Saúde. Outros 71 casos suspeitos ainda sendo investigados. Os pacientes com suspeita da doença tiveram amostras recolhidas e seguem em processo de análise, aguardando confirmação ou não. As vítimas fatais são da cidade de Varre-Sai e as notificações se estendem também aos municípios de Natividade, Itaperuna, Porciúncula e Bom Jesus de Itabapoana. Segundo o Ministério da Saúde, em 2013 apenas um óbito por febre maculosa foi registrado em todo o estado do Rio de Janeiro.
A febre maculosa
A febre maculosa é provocada pela bactéria Rickettsia rickettsii, transmitida por carrapato e podendo evoluir até manifestações graves. A infectologista Elba Lemos aponta que o quadro clínico da doença é marcado por um início brusco, com febre alta e dores de cabeça, podendo haver ainda dores musculares intensas e prostração. Na evolução da doença, podem ocorrer hemorragias, náuseas e vômitos. Segundo a infectologista, o surgimento de lesões na pele aumenta também o grau de suspeição.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.