” Justiça para quem produz” aproxima políticos em Campos

Nessa sexta-feira, Campos se mobilizou em defesa dos royalties do petróleo numa grande manifestação sem cor partidária, convocada pela prefeita Rosinha Garotinho, que reuniu milhares de pessoas na Praça São Salvador, contra a proposta dos deputados Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) e Humberto Souto (PPS-MG) e Marcelo Castro (PMDB-PI), autores da polêmica emenda sobre a redistribuição dos royalties do petróleo, que recebeu o veto do ex-presidente Lula, mas com fortes possibilidades de ser derrubado no próximo dia 5 de outubro.
Garotinho, Rosinha, Lindberg Farias, Odisséia e Roberto Henriques

Caso o veto presidencial seja derrubado, como indicam as previsões, o estado do Rio de Janeiro e seus municípios serão os maiores prejudicados pela nova divisão de recursos. O Estado perderia, já no próximo ano, cerca de R$ 4,8 bilhões em arrecadação, e o município de Campos perderia 80% dos recursos, cerca de R$ 1,4 bilhão.
A presença maciça de presidentes das entidades de serviço, associações e representantes de classe, mostrava a credibilidade e a força do evento. O presidente da Coagro, Frederido Paes, sugeriu que, caso tirem os royalties de Campos, que o bombeamento de petróleo para o Rio de Janeiro seja suspenso, outras lideranças defenderam o fechamento da BR101 por dois dias. Fonte e Fotos: Blog Esdras/ Folha da Manhã

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.