Confusão em protesto na Alerj e nova ocupação da Câmara do Rio

Manifestantes pedem saída do Governador – Em nova manifestação no Centro do Rio, cerca de mil pessoas escolheram, mais uma vez, as casas legislativas como alvo. A passeata, que começou na Candelária por volta das 17h desta quinta-feira, partiu em direção à Assembleia Legislativa do Rio e terminou à noite, nos arredores da Câmara dos Vereadores do Rio. Na Alerj, houve um princípio de confusão, com manifestantes chutando os portões de ferro do Palácio Tiradentes, ocupando as galerias com gritos de “Fora Cabral” e sendo expulsos por seguranças da Casa, que, segundo testemunhas, teriam usado spray de pimenta. De lá, o ato seguiu rumo à Câmara Municipal, na Cinelândia, onde um grupo que já estava na Casa, acompanhando uma sessão no plenário, surpreendeu dizendo que ocuparia o local por tempo indeterminado.
Por volta das 16h30m, 22 manifestantes entraram no prédio da Alerj, onde acontecia uma sessão ordinária. Irritado, o presidente da Casa, deputado Paulo Melo (PMDB), anunciou o fim da sessão e chegou a apagar as luzes. Os deputados Marcelo Freixo (PSOL), Luiz Paulo Correa da Rocha (PSDB) e Wagner Montes (PSD) tentaram intervir para garantir a desocupação do plenário, onde policiais já agrediam manifestantes, inclusive com spray de pimenta. Montes teve seus óculos quebrados. Melo, no entanto, negou que tenha havido abusos, apesar de admitir o uso de spray de pimenta. Segundo ele, um segurança ficou ferido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.