Bill Gates afirma que a pandemia vai até o final de 2021 e que milhares ainda irão morrer

Milhões de pessoas ainda irão morrer antes que a pandemia do Covid-19 acabe no final de 2021. A afirmação foi dita por Bill Gates, presidente da filantrópica Fundação Bill & Melinda Gates, em entrevista à revista The Economist. A matéria foi publicada em 18 de Agosto deste ano.

A maioria dessas mortes, disse ele, seria causada não pela doença em si, mas pela pressão ainda maior sobre os sistemas de saúde e economias que já estavam lutando. Ele também lamentou a politização da resposta ao vírus na América e criticou a disseminação de teorias da conspiração, as quais supostamente reduziram os esforços para conter a disseminação da doença.

No trecho da entrevista disponível gratuitamente no site da revista, Gates não comentou a respeito da suspeita participação da China como epicentro da pandemia, nem falou da suposta patente do coronavirus em seu nome, vazada na internet.

O ex-presidente da Microsoft prevê que até o final de 2021 uma vacina razoavelmente eficaz estará em produção em massa, e uma parcela grande o suficiente da população mundial seria imunizada para conter a pandemia.

A reportagem diz que Bill Gates passou muito tempo pensando sobre vírus e vacinas, bem antes de o novo coronavírus ser detectado pela primeira vez na cidade chinesa de Wuhan, no final de 2019.

A Fundação Gates tem trabalhado ajudando a erradicar a poliomielite e a malária, buscando encontrar uma vacina definitiva. Ele teria alertado anos atrás sobre a possibilidade de que uma nova doença que causasse uma pandemia global. Seria uma questão de quando, não se, e pediu que o mundo realizasse “jogos germinativos” nos moldes dos jogos de guerra realizados pelos exércitos.

Sua fundação já prometeu mais de US $ 350 milhões para a resposta à pandemia Covid-19, grande parte do qual se concentra na redução de seu impacto no mundo em desenvolvimento. Mas é preciso mais. “Todos nós precisamos gastar bilhões para lançar a vacina e salvar os trilhões que o dano econômico está causando”, afirmou.

Fonte e Foto: The Economist

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.